Ferramentas do usuário

Ferramentas do site


05_curso_antigo:r2013:alunos:trabalho_final:ivychiarelli:start

Ivy C. Chiarelli

sam_0415.jpg

Trabalho no LabTrop com o Prof. Alexandre Adalardo e a Prof. Adriana Martini em dois projetos de Ecologia e Restauração de Restingas. Tenho um projeto de pesquisa denominado “EFEITOS DE FATORES LIMITANTES SOBRE O DESEMPENHO DE PLANTAS DE RESTINGA ARBUSTIVA COMO SUBSÍDIO PARA RESTAURAÇÃO” com dados já coletados. Minha motivação em fazer esse curso parte da ideia de utilizar as funções do R para analisar os dados.

Meus Exercícios

Minhas Propostas

Plano A

Como disse acima, tenho dados coletados em campo. Minha ideia é utilizá-los no trabalho final para criar uma função e analisar os dados. Isso vai me adiantar muito! Vou descrever aqui como foi delineado o projeto e o que quero analisar. Os dados são de uma área de restinga que restauramos. O delineamento experimental do projeto foi feito da seguinte forma: As plantas foram submetidas a três tratamentos diferentes: 1- Tratamento de Água, com dois níveis: “Com adição” e “Sem adição”; 2- Tratamento de Nutrientes, com dois níveis: “Com adição” e “Sem adição”; 3- Tratamento de Sistemas de Plantio, com dois níveis: “Núcleo” e “Isolado”. O plantio nucleado (N) consistiu em agregar nove mudas de oito espécies diferentes. No plantio isolado (I) somente uma muda foi plantada. Foram implantadas 4 condições diferentes, visando identificar se o principal fator limitante ao estabelecimento de mudas em ambientes de restinga é a deficiência de água ou de nutrientes no solo. As condições foram: a) Somente adição de água; b) Somente adição de nutrientes; c) Adição de água e nutrientes e d) Sem adição de nenhum fator. As condições de nutrientes e água foram aplicadas aos dois sistemas de plantio e, dessa forma, tem-se 8 combinações de tratamentos, sendo Na, Nb, Nc, Nd, Ia, Ib, Ic e Id. Foram realizadas 14 réplicas de cada combinação de tratamento para cada sistema de plantio. Para a avaliação do desempenho das plantas medimos altura, diâmetro à altura do solo e área da copa. A ideia então é criar um data frame dos dados coletados, desenvolver uma função que eu possa comparar o desempenho das plantas nos diferentes tipos de tratamento e sistemas de plantio. Depois então plotar um gráfico bem bonito destes dados!

Plano B

Bom, já que temos que escrever um plano B também lá vai…

Pensei em comparar os dados coletados (descritos no plano A) com os dados de outra área restaurada no mesmo ambiente e com o mesmo delineamento. Para simplificar, de repente criar uma função para comparar uma das variáveis medidas (ex. altura) nos diferentes tipos de tratamento: Tratamento de Água, com dois níveis: “Com adição” e “Sem adição”; Tratamento de Nutrientes, com dois níveis: “Com adição” e “Sem adição”; Tratamento de Sistemas de Plantio, com dois níveis: “Núcleo” e “Isolado”. Os plantios foram realizados em épocas diferentes. O primeiro (do plano A) já tem 3 anos, o outro tem aproximadamente 1 ano e meio.

Comentários

Ivy, em sua proposta você descreve a estrutura de dados que seria a entrada da sua função mas não o que a própria função vai fazer. Sua proposta parece muito com as análises já feitas como exercícios, e a idéia é que sua função vá além disso. Uma boa função é um pedaço de código que você quereria chamar muitas vezes para muitos conjuntos de dados diferentes, e não apenas para um experimento, então tente criar uma proposta que abarque mais coisas que apenas seu desenho experimental. É importante também ter clareza de qual será o objeto que sua função retornará. - Fernando Pizza

05_curso_antigo/r2013/alunos/trabalho_final/ivychiarelli/start.txt · Última modificação: 2020/08/12 06:04 (edição externa)